Boletim Semanal | nº 654 | 08/10/2020

Projeto do Observatório das Metrópoles analisa a estrutura de classe em sete regiões metropolitanas

Em 2019, o projeto Estrutura Social das Metrópoles Brasileiras publicou os primeiros resultados vinculados ao objetivo de aprofundar a análise das categorias sócio-ocupacionais nas metrópoles brasileiras. Nesta primeira etapa, o Observatório das Metrópoles inaugurou o uso da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) Contínua (2012-2017) para analisar a estrutura de classe em Belo Horizonte, Curitiba, Porto Alegre, Rio de Janeiro, Salvador e São Paulo, incluindo o perfil e o comportamento dos grupos sócio-ocupacionais, segundo características demográficas, socioeconômicas e de relações de trabalho. Mais recentemente, a análise da Região Metropolitana de Belém (RMB) foi concluída e o relatório aprofunda a compreensão das particularidades da RMB quanto à representatividade das categorias sócio-ocupacionais, sobretudo em relação a como expressaram reflexos da dinâmica econômica do país e da Região Norte. Confira!

Mudanças residenciais e comerciais: um estudo sobre processos de renovação urbana

A dissertação de Lívia Matos Lara de Assis analisa as mudanças nas dinâmicas residenciais e comerciais do Anchieta, bairro localizado na região Centro-Sul de Belo Horizonte. A pesquisa, que teve orientação de Luciana Andrade, coordenadora Núcleo Belo Horizonte, investiga se as mudanças ocorridas nas dinâmicas residenciais e comerciais do bairro configuram, respectivamente, uma gentrificação por nova construção e uma gentrificação comercial. Nas conclusões, a autora aponta que se confirma a hipótese de que o bairro está passando por esse tipo de fenômeno, além de ser possível inferir que há uma dinâmica em ocorrência na região Centro-Sul, cuja tendência é uma elitização ainda maior dessa área da cidade – tornando-a ainda mais segregada.
Nós respeitamos a sua privacidade e somos contra o spam.
Se você não deseja mais receber nossos e-mails, cancele seu recebimento acessando aqui.